Home Jornal da Capital Cultura Mulheres invisíveis: Carolina Machado de Assis e Jurema Finamour

Mulheres invisíveis: Carolina Machado de Assis e Jurema Finamour

280
0

Na próxima quarta-feira (13 de março), às 19h, a Biblioteca Pública do Estado do Rio Grande do Sul realiza um encontro sobre o apagamento histórico de mulheres. As escritoras Rosa Busnello e Christa Berger conversam sobre Carolina Machado de Assis e Jurema Finamour, que inspiraram seus respectivos livros, ambos editados pela Libretos. A mediação é da professora Gabriela Silva.

O objetivo do evento é promover uma reflexão sobre as duas biografias, acerca dos motivos que geraram a invisibilidade e o sombreamento de duas mulheres cultas e de talento. Os dois títulos são fruto de intensa pesquisa e demonstram por meio das fontes históricas, o quanto o trabalho de duas mulheres importantes foi tornado oculto, por questões de gênero.

capa Jurema Finamour

Rosa é autora de O livro de Carolina – A improvável biografia de Carolina Machado de Assis,(Libretos Editora, 2021, 232 páginas), um romance histórico recheado de correspondências originais e com um toque de requinte em sua construção literária. A portuguesa Carolina Augusta de Novaes Machado de Assis viveu por mais de trinta anos no Brasil. Foi uma mulher reconhecidamente culta, inteligente e discreta, e foi casada com Machado de Assis. Ela apresentou ao escritor os clássicos da literatura que ele não conhecia e se tornou uma crítica imprescindível do que o autor escrevia.

Christa lançou o livro Jurema Finamour, a jornalista silenciada (Libretos Editora, 2022, 300 páginas), onde conta a história da jornalista e escritora Jurema Finamour. Culta, criativa e livre, ela participou intensamente da vida cultural brasileira, conviveu com os intelectuais de seu tempo – como Jorge Amado, Graciliano Ramos, Candido Portinari, Carolina Maria de Jesus, Carlos Drummond de Andrade, foi a primeira mulher presa no RS pela Ditadura, mas nada dela ficou registrado. A pergunta que acompanha a descrição de sua vida é: por que ela foi esquecida? Por que apagada e silenciada?

SERVIÇO
“Mulheres invisíveis: Carolina Machado de Assis e Jurema Finamour” reúne as autoras da Libretos Editora, Rosa Busnello e Christa Berger. A mediação é da professora Gabriela Silva.
Dia 13 de março (quarta-feira), às 19h
Salão Mourisco da Biblioteca Pública Estadual – Rua Riachuelo, 1190 – Centro Histórico de Porto Alegre/RS
Entrada Franca

Fonte: Simone Lersch – Assessoria de Comunicação

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here