Home Jornal da Capital É Notícia Startup gaúcha conquista o Shell Startup Challenge Brazil

Startup gaúcha conquista o Shell Startup Challenge Brazil

918
0

Tem gaúcha entre os três vencedores do Shell Startup Challenge Brazil. É a Pix Force, startup que também participa do programa StartupRS Scale, do Sebrae RS. O concurso é realizado em parceria com Senai e Sebrae e busca empresas que possam fornecer serviços e soluções para a companhia e para o setor de energia na área de Pesquisa & Desenvolvimento. As outras duas premiadas foram a Teia Labs, de Porto Alegre (RS), e a PhDsoft, do Rio de Janeiro (RJ).

Os vencedores terão um contrato tripartite com a Shell e o Senai para o financiamento dos projetos apresentados. As startups terão um prazo de 12 meses e um investimento de até R$ 830 mil, cada uma, para colocar em prática as apresentações aprovadas. O sócio-diretor da Pix Force, Daniel Moura, explica que eles irão desenvolver um serviço que utiliza imagens de satélite para detectar vazamento de óleo em regiões oceânicas. “O mais interessante da nossa proposta é que não está fixa a um único produto. Com esse prêmio, poderemos criar uma solução que pode ser utilizada em várias partes do mundo”, revela.

A Pix Force foi criada em 2016 a partir da associação entre dois profissionais de áreas bem diferentes, porém complementares: Daniel Moura, vindo da engenharia ambiental, e Renato Gomes, com ampla experiência em mineração. “Nós criamos a startup com a proposta de montar uma gestão territorial inteligente. Para isso, utilizamos imagens de drones, satélites e outros sensores com o objetivo de ajudar empresas de grande porte a administrar seus ativos territoriais”, informa Moura. Um dos principais destaques da atuação da Pix está no inventário de árvores, que auxilia no controle das áreas plantadas. “Temos como clientes nesse setor a Fibrio e a CMPC Celulose Riograndense, que já utilizam nossos serviços”, comemora.

O diretor ressalta a importância da participação no Programa StartupRS Scale, do Sebrae RS, para alcançar as conquistas. “Como todo desenvolvedor, nosso ponto fraco é a venda e o programa que o Sebrae RS desenvolveu ajuda, exatamente, neste aspecto. Aprendemos que, com cada produto novo é preciso pensar como o cliente para que nosso foco não se perca no caminho”, afirma.

A coordenadora do Programa de TI e Startups do Sebrae RS, Débora Chagas, ratifica que a participação das startups em desafios como o da Shell é importante porque demostra o grau de aprendizado e maturidade dos empreendimentos. “Estamos muito orgulhosos com a premiação da Pix Force no concurso, afinal eles estão em fase de crescimento, buscando escala comercial e podemos ver na prática os resultados”, disse.

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here